4 de jul de 2012

- Irreversível.

Nas suas idas e vindas, eu prefiro que você fique.

 



Lembro tudo que passamos juntos, dos bares, dos dias de praia ou mesmo de seus ciúmes bobos. Recordo-me muito bem das noites que passamos juntos provando nosso amor reciproco. Mas e agora o que me tornei? Um mero viajante, que vai de cidade em cidade buscando um sentimento tão intenso que senti por você um dia... Sei que nunca vou te ter de volta, afinal ninguém retorna do mundo dos mortos, ninguém volta à vida e vence a morte, não somos Cristo para isso.
O vento batia em meu rosto secando as lágrimas de minha face, sempre fui do tipo que não chora na frente das pessoas, mas já é de madrugada, não há pessoas na rua há essa hora e mesmo se tivesse nenhuma delas faz diferença em minha vida. A minha volta nada era importante, caminhar sem rumo é o mais interessante nos últimos três anos. Indico  que vocês jamais se envolvam com mulheres que saibam que iram amar, pois se um dia acontecer e você perdê-la você achara que encontrara outras, mas eu vos digo, jamais encontraram um sentimento que se aproxime do amor da sua vida, pois esse só ira acontecer uma vez.
Sabe como sei disso? Quando a vi, eu enxerguei todo o meu futuro ao lado dela, nosso casamento, nossos filhos, nossa velhice, mas nada disso aconteceu. Lembro do dia de sua morte, nós havíamos brigado, ela pouco antes de morrer me mandou uma sms “Quando eu morrer, saiba que te amo e jamais vou deixar de te amar”, liguei para ela assim que a recebi, no meio da nossa conversa a chamada caiu, mas antes ouvi gritos e um estrondo, um caminhão bateu no carro em que estava com sua melhor amiga causando explosão imediata. O velório de Katherine eu não fui, queria ficar com minha memoria de vê-la com aquele belo sorriso torto e branco, seu cabelo castanho cacheado até a cintura e seu corpo escultural, sua risada e seu jeito de como ficava envergonhada quando dizia o quão linda é, ou melhor, era.
Sente-me frente aquela velha colina onde a conheci e a beijei pela primeira vez, a Lua iluminava o mar calmo, ouvi passos atrás de mim, mas não me incomodei em saber quem era, continuei a chorar, mesmo que tenha passado três longos anos eu ainda sinto a dor como se tivesse sido hoje, como se ela estivesse ao meu lado segurando a minha mão e no outro instante morta, pálida, sem vida em seus olhos.
Ao olhar percebi que quem estava ao meu lado não era uma pessoa conhecida, um negro de porte médio e cabelos grisalhos. Ele não me encarou, apenas fitava o mar como se não se importasse com minha presença.
-É difícil né?! – falou quebrando o silêncio.
Apenas assenti.
-Eu sei que é sua dor nunca vai passar – respirou fundo e continuou - Mas sabia que eu já vi muito mais nessa vida do que você pode imaginar filhos matando os pais, guerra, decapitações, estupros, suicídios. Isso também dói bastante sabia?!
-E quem é você para saber da minha dor? – o choro voltara e não me senti incomodado com  presença dele – Você não é nada. Nada – meu tom aumentou e minha ignorância era notável.
-Bom, eu sei sim o que você sente, sei o quando você amava Katherine e sei que jamais vai deixar de amar – respondeu calmamente – Mas digamos que eu saiba como ela está e que está preocupada com você.  Com quem você se tornou e que quer que você siga em frente...
-Não me importo com o que ela pense do que me tornei. Eu sinto falta dela e não vou me tornar uma pessoa mais sociável por causa disso. E quem é você para saber? Deus?! – sorri ironicamente.
Ele se calou.
-E Deus ainda perde tempo comigo? Para que?
-Bom... Você merece uma segunda chance, todos vocês merecem e não é assim que você vai conseguir.
Permaneci em silencio.
-Sei que não vai mudar muita coisa, você vai acordar e perceber que isso foi só um sonho, mas quero que saiba que está sendo um idiota – ele se irritou e o mar pareceu seguir seu humor ficando agitado instantaneamente – Ela te ama e você a ama, mas não faça-a sofrer mais me entendeu? Seja ao menos feliz, vá para casa e veja sua mãe e o modo que a deixou, ela pede todos os dias por você, sua irmã faz o mesmo e chora cara vez que lembra de você e isso é quase todo o tempo, não faça isso com as pessoas que te amam Ethan, não as mate lentamente, tente ser como antes – falou pondo a mão em minha testa, tudo se escureceu.
Tudo ficou como vultos, até percebi que estava em casa, minha mãe me abraçava e pedia para eu não ir embora novamente, nunca vou saber como cheguei ali, mas sei que aquele talvez sonho me acordou um pouco para minha vida, eu sempre vou amar a Katherine, mas tenho que viver com minha família e ao menos tentar faze-los felizes. E eu agradeço a aquele sonho todos os dias de minha vida, sei o quanto Ele me faz mudar e faz isso com muitas pessoas.
Eu digo e repito, preciso de minhas lembranças ao seu lado, sei que tudo valeu a pena, mesmo te perdendo fico feliz por ter sido o amor de sua vida e acredite, sempre será o meu.
 




Das lembranças que eu trago na vida você é a saudade que eu gosto de ter
Outra Vez - Roberto Carlos






Por: Mariane Alfradique

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário :))