9 de nov de 2011

- Feliz.




Sabe... Minha vida sempre foi assim, conturbada e cheia de ilusões, são tantos que talvez poderiam se comparar com a dimensão do mar ou dos grãos de areia... Desde aquele dia faço diariamente que eu seja mais feliz, ou ao menos tento mostrar que sou feliz... Meus pais se separaram quando fiz cinco anos, nunca os perdoei por isso, mas acho que também não tenho nada que me meter nesse assunto, há dois anos eu amei um cara... Ele dizia que me amava e que iria ser meu até seu coração parar ou em seu ultimo suspiro... Acho que ele já deveria estar morto, já que não estamos mais juntos e assim que apareceu uma piranha em sua frente ele me deixou e também fez o mesmo com ele... Sinceramente... Caras assim tinha que ser apedrejados até a morte... Posso exagerar, mas eles deviam pegar mais leve e não deixar o coração de uma garota tão quebrado em cacos que nunca mais sejam juntados, e mesmo que forem, sempre haverá erros e deformidades...  E assim está o meu, eu recolhei os cacos e os colei de volta, mas mesmo assim eu ainda me lembro de cada lágrima maldita que derramei por Caio, cada uma delas era uma dor que hoje eu não sei, mas acho que o perdoei...
Já eram quase cinco da tarde, ao sair da faculdade decidi passar pela praia de Ipanema, lá vendo muitas pessoas e as ouvindo falando outros idiomas, sentei-me a beira do mar, ele estava calmo hoje, a brisa trazia um cheiro doce e leve de maresia, estar aqui me traz paz, me fazia sentir bem de verdade e calma, talvez isso sim é felicidade, poder respirar fundo e sentir o cheiro do mar, sentir o vento bater em minha face que também vinha com algumas gotículas de água do mar...
-Bruna?! – sua voz parecia tremula, senti um leve calafrio percorrer meu corpo.
-Quê? – respondi automaticamente e gelei instantaneamente – O que você está fazendo aqui?
-Eu moro aqui perto, você sabe, eu sempre estou por aqui – eu havia me esquecido completamente que ele ainda habitava a Terra – Bom... Eu sei que não me quer aqui, estou indo tá?!
-Não - a palavra saiu rápido demais quase suplicante.
-Mas... Eu pensei que ainda me odiasse... – ele parecia envergonhado.
-Bom... Eu não te odeio... Eu te... – quase saiu amo pela minha boca – Perdoei... Não guardo mais magoa.
-Ainda bem, eu não sou mais como antes – ele sentou-se na areia ao meu lado, meu coração disparou – Não estou com ninguém e parei de fazer mal as pessoas, eu sei que fui um canalha contigo e me perdoe se possível... – seu pedido de desculpas estava mexendo comigo... “Pare de ser idiota sua babaca” – E caso queira sair um dia desses... Estou a disposição – “Estava demorando”.
-Não posso sair com você Caio... – era difícil falar não ao cara que eu ainda amo – Desculpe – meus olhos eram fixos a areia e eu a mexia com um graveto que encontrei ali.
-Me esqueceu? – seu tom e rosto eram surpresos.
-E eu pensava que já tinha te esquecido. Que você era apenas um triste capítulo da minha vida, mas um capítulo já lido... Agora você volta e consegue mexer com o meu coração de novo... Você me faz reler aquele capítulo... Mas eu não estou disposta a passar por tudo de novo, desculpe.
-Eu te entendo.
-Não... Você não entende... Ainda dói, e muito, dói muito mais do que eu pensava que fosse doer, você me machucou e mesmo eu tendo te perdoado, nunca vai ser como antes... Seria um erro e se eu aceitasse seria como... – eu me levantei e fiquei olhando-o de cima – Se eu fosse uma estupida de novo... – meus olhos se encheram de lágrimas, relembrar aquilo, tudo que passamos, toda a dor veio a tona como um navio sem rumo e em maré alta.
Ele se levantou e limpou lentamente minhas lágrimas que estavam em minha face.
-Tudo bem, mas se precisar de qualquer coisa pode contar comigo, está bem?! – sua voz era carinhosa e gentil.
-Está bem... – dei as costas e estava indo em direção a calçada.
-Espere – ele correu e puxou meu braço direito, me abraçou forte 
– Eu te amo meu anjo e fique com Deus.
Sorri com tal atitude e sai, limpando as minhas lágrimas... Aquele dia serviu para que toda a dor, ódio, raiva, angustia que eu tinha sumissem... E hoje?! Hoje sim, eu sou feliz.



image

4 comentários:

IzaCarrion disse...

Parabéns pelo blog! Já estou seguindo, siga-me de volta se possível :D

http://prooximaparada.blogspot.com

Lucas Nuti disse...

Viver e ler as emoções alheias é maravilhoso.
Continue colocando pra fora,e eu estarei aqui pra ler!



http://alteregodonuti.blogspot.com/

Franciele Câmara disse...

Seguindo, (: Se puder retribui, beijos

http://apaixonadasporcosmeticos.blogspot.com/

www.Mundodse.com disse...

Otimo blog, achei bem interessante essa sua maneira de expressar seus sentimentos, pois é legal dizer aquilo que sentimos de qualquer forma possivel. =]

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário :))