27 de out de 2011

- Repulsivo.



Meus olhos eram fixos aos seus, eu sabia que estava fazendo a coisa certa. Eu não me perdoaria se eu o perdoasse, cada mínimo detalhe do seu rosto me fazia sentir nojo de tê-lo um dia como namorado... Não que não fomos felizes, mas o final foi infeliz demais. Saber que a pessoa que você ama agora pertence a quem você mais confiava dói, saber que eu confiei na pessoa que te trai de forma cruel e desnecessária é repugnante.
-Tem certeza que quer terminar? – seu tom era triste e melancólico, lágrimas escorriam por seus olhos.
-Sim eu tenho... Seria uma idiota se voltasse com você ou falasse com aquela... – hesitei em falar um palavrão – Menina.
-Mas eu me arrependi. – ele se aproximou e tocou minha bochecha com delicadeza, uma onda de calafrio passou pelo meu corpo.
-Se fosse ao contrario o que você faria? – eu estava quase gritando – Não adianta Vitor, não tem volta. Não perca seu tempo e vá embora.
-Mas...
-Mas o que? – o interrompi –Vai dizer que me ama e que não vai se repetir? Não é assim que as coisas funcionam. Eu sempre peguei leve contigo, mesmo tendo ciúme de muitas coisas eu evitava, você mais que ninguém sabe disso, me fiz de idiota. Mas agora? – soltei um leve sorriso irônico -  Eu não vou ser a santinha que me conhece... Quer saber de mais uma coisa? Eu não vou te perdoar... Bom, perdoar eu perdoo, mas não tente mais nada comigo ok? Se você quiser ficar com a Paula, fique... Sejam felizes, mas me esqueçam. – dei as costas e cerca de cinco metros de distancia Vitor foi correndo atrás de mim.
-Por favor... Me perdoe – sua voz era ofegante e em um impulso ele me beijou, tentei sair, mas ele era mais forte que eu o que me fez bate-lo, mas pareceu não funcionar – Tem certeza que... – minha mão direita foi diretamente ao seu rosto pálido, que ficou vermelho com marcas de dedos.
-Nunca mais cheguei perto de mim... Eu tenho nojo de você!
Virei-me e logo em seguida começou a chover, ele ficou lá, chorando ou fazendo sabe-se lá o quê. Sei que eles fizeram não merece perdão. Dormir com minha melhor amiga... Foi... Não sei a palavra certa... Mas acho que é mais do que nojo, pena, ódio, raiva. Mas agora não importa, vou tratar como prioridade quem me ama de verdade e o resto? – gargalhei – Que se foda!

Por: Mariane Alfradique

1 comentários:

Lucas Nuti disse...

Agora que estou amando aprecio quem cultua esse sentimento. Mas a frase carro chefe do seu blog é problemática: "seja vc mesmo", isso é tão difícil de fazer...



http://alteregodonuti.blogspot.com/

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário :))