15 de nov de 2011

- Ciumes.




 É estranho vê-la nos braços de outro, por mais que seja o namorado dela, eu não me sentia bem ao ver que ela estava feliz em poder estar com ele, que por mais que eu estivesse ali ela não estivesse comigo.
-Ah Pierre não liga, larga disso ela não te merece – Era estranho ouvir isso da “melhor amiga” da Luciana.
-Fazer o que né Mah, acontece.
Eles agora estavam vindo em nossa direção.
-Gente eu tenho uma casa de praia aqui perto e seria só para descontrair um pouco, o que vocês acham de passarmos esse final de semana aqui, pelo menos pra ver se ela melhora – Disse Caio, apesar de tudo ele parece uma boa pessoa.
Conversamos com os pais da Marta e da Luciana e eles concordaram, voltaríamos pra casa no domingo, teríamos dois dias pra ver se a Luciana melhoraria.
-Foi difícil mais eles acabaram concordando – Disse Marta.
Fomos para a casa de praia do Caio, ela é enorme e nada modesta, seus pais tem bastante recurso. Vários quartos, com suítes e piscina nos fundos.
Fui até o quarto em que o Caio me indicou e me acomodei, tomei uma ducha e ouvi baterem na porta.
-Entra,  esta aberta.
Era a Marta.
-Fala Marta
-Eles estão nos chamando para ir à piscina dar um mergulho, quer ir?
-Não sei estou cansado da viagem ainda.
-Poxa Pih, não quero ficar sozinha com os dois sabe? – Isso me pareceu uma cantada, mais preferi fingir que não percebi.
-Pode ser Marta daqui a pouco eu desço. – Ela me deu um beijo no rosto e saio do quarto.
-Eu hein. Era só o que me faltava. – Eu disse não crendo nas atitudes dela.
Desci depois de um tempo e vi que eles já estavam na piscina tomando Whisky .
-Vai uma dose ai Pierre? – Disse Caio.
-Eu não bebo.
-Então como você consegue ser feliz? – Ele brincou.
-Eu não vejo fundamento na bebida, essas coisas.
-Que seja, entra ai. Então qualquer coisa que quiser é só pedir pra Ester é governanta antiga da casa.
Entrei na piscina e lá percebi que Marta era realmente linda, nada comparada a Luh que é fantástica. Mah, assim que me viu foi direto conversar comigo, como era de se esperar.
-Pih, por que você gosta dela e não de mim? – Senti um calafrio na barriga.
-Nós não decidimos de quem gostamos – Agora ela já estava bêbada e me abraçava, dava para sentir o cheiro da bebida, eu detestava garotas assim.
-Mais bem que você pode tentar esquecer né? – Revirei os olhos sem graça, não sabia o que falar, senti que estava corando.
-Ela não liga pra você, ela ta com o Caio, você não faz diferença pra ela, acorda. – O que ela falava até que tinha fundamento, mas não podia me deixar levar tão fácil, apenas fiquei quieto – Ta vendo como você concorda comigo.
-Eu não concordo com você.
-Então ta Pierre, deixa pra lá, enquanto você fica ai se martirizando ela ta lá. – Disse ela em um tom de provocação. 
-Marta você realmente não me conhece nem um pouco.
-Deixa pra lá, não quero discutir com você, amigos? – disse ela rindo.
Apenas concordei. Caio e Luciana agora estavam nos chamando. Fomos até eles e percebi que ela estava passando mal, não parecia nem um pouco bem, estava com olhos vermelhos e sentia o cheiro de bebida, isso me fez repensar que eu realmente não a conhecia como pensava, ou ela estava fazendo isso por causa de sua mãe.
-Eu vou levar a Luh lá pra cima - Disse Marta
Eu e Caio ficamos sozinhos por alguns minutos o que foi suficiente pra ele pilhar em relação à amiguinha dele.
-Cara larga de ser idiota, a menina ta praticamente em cima de você e não faz nada - Eu pensei em dizer algo do tipo: “Acorda eu gosto da sua namorada seu babaca”, mas preferi omitir.
-Eu não to afim. – E isso bastou ele pareceu entender que não mudaria de idéia em relação a ela. Ele também estava bêbado, esse é um dos motivos sólidos para eu não beber.
-Eu vou tomar banho e cair na cama, por que ta uma merda, amanhã com certeza uma baita dor de cabeça. – disse ele já saindo da piscina.
Eu fui logo em seguida, troquei de roupa e meu estomago agora doía, eu estava com muita fome. Na cozinha que realmente era gigante havia muitas mobílias que pareciam ter sido tiradas de um Best Seller. Ouvi um barulho, passos atrás de mim, olhei assustado meu coração foi na boca ao vê-la.
Rindo ela disse:
-Desculpa, eu só to com sede não deveria ter bebido e você? – ela levantará a sobrancelha.
-Fome, não comi nada hoje, você não parece bem.
-E não estou, enjoada, minha cabeça dói. – Disse ela pondo a mão sobre a testa.
-É melhor eu nem falar o que eu acho disso.
-É nada de broncas agora. – Ela saiu correndo e fui atrás dela.
Ela estava no banheiro, trancado, barulho de vomito, nojento.
-Luciana ta bem? – Sussurrei pela porta.
Silêncio
-Luciana?
Nenhuma resposta. Peguei a chave reserva que tinha na sala, ao abrir a porta levei um grande susto, ela estava no chão e não estava acordada.
-Luciana? – Bati no rosto dela chamando-a constantemente, ela pareceu reagir. Levei-a até seu quarto.
-Não faz isso comigo Luh, por favor. – Ela me olhava assustada, recostando-se na cama.
-Eu estou melhor, não se preocupe Pih.
-Vou ficar aqui com você, mesmo se quiser eu fico no sofá – Um pequeno que parecia bem confortável que havia ao lado da cama.
-Tudo bem, pode ser.
Ela apenas deitou e não demorou muito até adormecer, eu a via assim e não sei explicar ao certo, mas eu me senti tão bem ao poder ao menos ficar tão perto dela, e estava linda, apesar de seus lábios estivessem pálidos, parecia sonhar com algo, tão pouco parecia abatida estava do mesmo jeitinho que ilumina a todos de antes.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário :))